Pais & Filhas (2015), de Gabriele Muccino

31/05/2016

Escritor vencedor do Pullitzer, Jake Davis (Russel Crowe) tem de enfrentar várias dificuldades para criar sua filha Katie, de cinco anos. A convivência amorosa de pai e filha é ameaçada por sérios problemas de saúde dele, da instabilidade emocional de sua escrita, o pouco dinheiro que lhe resta, a perda da esposa em um acidente de carro e a tentativa dos tios Elizabeth (Diane Kruger) e William (Bruce Greenwood) em lhe tomar a guarda de sua pequena

 

O drama familiar é recortado em dois períodos separados por 20 anos. E essa costura é justificada, pois as emoções de um período são bem refletidas no seguinte. Para complementar o tom dramático, Katie, já adulta (Amanda Seyfried), cuida de crianças com problemas psicológicos, de uma forma em que ainda tenta entender sua complicada infância e ações desmedidas.

 

Na linha de frente, Russel Crowe (com seus tremeliques) e Amanda Seyfried (com sua sede noturna). Cada um leva suas sequências ao campo seguro do afeto X dor, muito bem acompanhados de Aaron Paul ("Uma Longa Queda", 2014) e Jane Fonda ("A Juventude", 2015).

 

No elenco de apoio, o casal de tios, Diane Kruger ("Troia", 2004) e Bruce Greenwood ("Star Trek", 2009), ficam na média, enquanto Quvenzhané Wallis (indicada ao Oscar por "Indomável Sonhadora", 2012) é pura dor silenciosa. Já a vencedora do Oscar, Octavia Spencer (coadjuvante por "Histórias Cruzadas", 2011) continua sem saber atuar.

 

O diretor Gabriele Muccino já demonstrou sua alta capacidade de emocionar com temas dolorosos, vide os lacrimosos "À Procura da Felicidade" (2006) e "Sete Vidas" (2008). E aqui não desponta ao entregar mais uma obra com sentimentos que valem as suas lágrimas. Sejam elas comedidas ou aos soluços.

 

Publicado pelo autor no Clube Cinema.

Please reload

PARCEIROS

Ativo 1.png
Ativo 2.png
Ativo 3.png

© 2020 Aceccine - Associação Cearense de Críticos de Cinema